Assinatura de editais de dramaturgia e ocupação de auditórios Teatro Guaíra

LancamentoEditalTCCPcupacaoAuditoriosfoto2FernandaCastro

Secretaria da Cultura e Teatro Guaíra assinam edital

para reativação do Teatro de Comédia do  Paraná

Também foi assinado edital para ocupação dos auditórios Guairinha, Mini e José Maria Santos por grupos paranaenses que apresentarão peças com classificação adulta e infantil. Os dois editais serão vigentes para o próximo ano

 

O Centro Cultural Teatro Guaíra e a Secretaria de Estado da Cultura assinaram nesta quarta-feira (28) dois editais, com vigência para 2016, que promoverão a cultura no Estado. O primeiro edital se refere à reativação do Teatro de Comédia do Paraná (TCP) que produzirá no primeiro semestre de 2016 um texto inédito de autor paranaense ou residente no Estado.

O outro edital prevê a ocupação dos auditórios do CCTG (Guairinha, Mini e José Maria Santos) por grupos paranaenses que apresentarão peças de classificação adulta e infantil.

A solenidade foi na Secretaria de Estado da Cultura e os termos foram assinados pelo secretário da Cultura, João Luiz Fiani, e pela diretora-presidente do Centro Cultural Teatro Guaíra, Monica Rischbieter.

“O Teatro de Comédia do Paraná é uma das grandes conquistas dos artistas do Estado. Durante décadas foi o grande incentivador do teatro no Paraná e responsável pela produção de grandes espetáculos, revelando diretores, autores e atores. Poder voltar com esta importante ferramenta de produção artística é resultado do anseio dos artistas paranaenses”, disse Fiani.

Dramaturgia – as inscrições para o edital de dramaturgia do Teatro de Comédia do Paraná, que prevê a escolha de texto teatral inédito, no gênero comédia para adultos, estão abertas de 29 de outubro de 2015 a 15 de janeiro de 2016. Informações sobre condições de participação, cronograma do edital, processo de seleção e a ficha de inscrição estão no sitewww.teatroguaira.pr.gov.br .

Todo material deve ser enviado pelos Correios e serão aceitos os textos que chegarem com o carimbo do prazo final de inscrição, 15 de janeiro. O resultado será divulgado pelo site e pela imprensa no dia 15 de fevereiro. A montagem será apresentada em julho, no Guairinha e, posteriormente, seguirá em turnê por cidades do Paraná.

O proponente deve ser obrigatoriamente o autor do texto e este não poderá ser divulgado por qualquer meio de comunicação (leituras públicas, encenações, redes sociais, impressos, etc). O autor deve ser paranaense ou ter residência no estado por no mínimo dois anos. Não serão aceitas obras póstumas ou adaptações de textos literários.

“O concurso de dramaturgia preenche uma lacuna, a de espaço para os autores do nosso Estado. Com o concurso daremos chance a novos e consagrados dramaturgos do Paraná. O melhor texto será encenado pelo TCP e percorrerá um roteiro por cidades do estado, dentro do projeto Circula Paraná. As melhores peças estarão num livro, uma grande oportunidade para valorização dos autores”, afirma Fiani.

A montagem terá direção de Alexandre Reinecke, responsável também pela seleção de cenários e figurinos, definidos a partir do texto escolhido. As inscrições para formação destas equipes acontecerão em fevereiro do próximo ano.

 

“A reativação do Teatro de Comédia do Paraná é uma grande responsabilidade para a esta administração. O TCP foi responsável pela formação de uma geração de grandes profissionais e também por montagens históricas. É uma honra ter novamente este projeto em andamento”, diz a diretora-presidente do Centro Cultural Teatro Guaíra, Monica Rischbieter.

TCP – o Teatro de Comédia do Paraná surgiu em 1963 com a finalidade de orientar e coordenar as atividades teatrais do Teatro Guaíra. O primeiro diretor do grupo foi Cláudio Correa e Castro que montou ‘Um Elefante no Caos’, de Millôr Fernandes. No elenco estavam Paulo Goulart, Nicete Bruno, Lala Schneider, Sale Wolokita, Manuel Kobachuk, José Maria Santos e Joel de Oliveira.

A partir de 1964 o TCP atuou durante 11 anos consecutivos e chegou a produzir até cinco espetáculos em apenas um ano.

Em 1974, o TCP inaugurou o auditório Bento Munhoz da Rocha Netto (Guairão), com a peça ‘Paraná, terra de todas as gentes’, de Adherbal Fortes e direção Maurício Távora.

Também foram diretores do TCP Emilio Di Biasi (O Contestado), Oraci Gemba (O Carrasco do Sol), Ademar Guerra (Colônia Cecília), Volker Quandt e Joana Lopes (Vamos Transar), Fátima Ortiz (O Menino Maluquinho), Lala Schneider (A Sedução), Euclides Souza (A Nuvem Apaixonada), Celso Nunes (A Vida de Galileu), Marcelo Marchioro (As Bruxas de Salém), Edson Bueno (New York por Will Eisner), Hugo Mengarelli (O Incrível Retorno do Cavaleiro Solitário), Flávio Stein (Barca de Venezia per Padova), Gabriel Villela (A Aurora da Minha Vida), Felipe Hirsch (Os Incendiários), Moacir Chaves (Memória) e Mariana Percovich (Medea Material). Alguns destes diretores foram responsáveis por mais de uma montagem.

Ocupação – o segundo edital assinado nesta quarta-feira se refere à ocupação dos auditórios Salvador de Ferrante (Guairinha), Glauco Flores de Sá brito (Mini) e José Maria dos Santos.

O edital está aberto de 29 de outubro de 2015 a 29 de janeiro de 2016 e os resultados serão divulgados pelo site e imprensa no dia 19 de fevereiro. Toda a documentação deve ser enviada pelos Correios e serão aceitas as que chegarem com o carimbo do prazo final de inscrição, 29 de janeiro.

O edital regulamenta a cessão dos espaços para espetáculos profissionais de teatro paranaense, dirigidos ao público adulto (sete espetáculos) e crianças (três espetáculos), no período de abril a agosto de 2016. A primeira montagem será no dia 26 de abril, no auditório Glauco Flores de Sá Brito (Mini).

Informações sobre documentação, prazos, período de cessão, seleção contratação, recursos técnicos disponíveis e ficha cadastral estão no sitewww.teatroguaira.pr.gov.br

Os interessados deverão apresentar a solicitação, em envelope lacrado, contendo ficha cadastral, sinopse do texto ou roteiro, proposta artística da montagem, documentos de liberação (direitos autorais de dramaturgia e de música), ficha técnica, currículo do proponente entre outros documentos.

Uma curadoria irá definir os espetáculos que ocuparão os três auditórios.

“Queremos que o público esteja no teatro. Por isso o edital de ocupação tem um item importante, que estimula os produtores. Sempre que o número de ingressos vendidos por apresentação for igual ou superior a 40% da capacidade do teatro, os grupos ou companhias ficarão isentos do pagamento do percentual sobre o valor apurado em borderô”, afirma Monica.

Foto: Fernanda Castro

Recent Posts

Leave a Comment